Subiu no ranking!

Previous Next

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste, pela primeira vez ficou entre as 100 melhores universidades latino-americanas. A ascensão no Ranking se deve ao comprometimento da Unioeste com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), relacionados com pesquisa, divulgação e governança global. O Ranking foi divulgado no dia 14 de julho, pela revista inglesa Times Higher Education (THE).

Juntamente com a Unioeste, entraram para o ranking das 100 melhores as universidades paranaenses: Universidade Federal do Paraná na 22ª posição; Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Universidade Estadual de Londrina e Universidade Estadual de Maringá, na 45ª, 47ª e 48ª posições, respectivamente; Universidade Tecnológica Federal do Paraná na 84ª posição e a Universidade Estadual de Ponta Grossa na 86ª posição. Na atual edição do Ranking, 177 universidades latino-americanas se classificaram, dessas, 67 são universidades brasileiras, 28 chilenas, 24 colombianas, 23 mexicanas, 11 equatorianas, 9 argentinas e 8 peruanas. Entre as universidades brasileiras o primeiro lugar é ocupado pela USP.

O Reitor em Exercício da Unioeste, Gilmar Ribeiro de Mello, comenta a colocação: “É uma honra e resultado de muitos esforços a Unioeste ser a 74º melhor Universidade da América Latina. A colocação no Ranking demonstra a resiliência da nossa comunidade acadêmica e reforça a qualidade do ensino, da pesquisa, da extensão bem como da importância da ciência para a sociedade. É importante comemorar os resultados obtidos, para que no futuro possamos, cada vez mais, galgar novos espaços nos âmbitos latino-americano e global.”

No ano de 2020 a Unioeste estava entre as 125 melhores Universidades da América Latina, esse salto significativo marca uma nova página na história da instituição. Além do destaque no âmbito latino-americano, a Unioeste recentemente foi destaque no Young University Ranking, que retrata como “jovens universidades” aquelas fundadas a partir da década de 70. Na categoria de Engenharia Civil, 10 instituições brasileiras foram ranqueadas, e a Unioeste conquistou a sexta posição.

A colocação se deve à dedicação da Universidade com o desenvolvimento de projetos de construção sustentável. Em 2002, antes mesmo de as certificações de sustentabilidade proliferarem no Brasil, a Unioeste criou a “Casa Inteligente”, na qual a energia solar, a ventilação cruzada e o reaproveitamento de água da chuva são características da sustentabilidade desse espaço.

Com o bom desempenho nos Rankings, espera-se que cada vez mais a Unioeste cresça enquanto instituição, de forma a proporcionar melhorias no ensino, pesquisa e extensão para a sociedade como um todo.

Texto: Larissa Terra Langer